quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Nelson Oliveira

Os espertos decidiram que, lançá-lo com 17 anos na equipa principal, era queimar etapas formativas. Tinha todas as condições para vingar e ser neste momento imprescindível. Mas não. De empréstimo em empréstimo, conseguiram ridicularizar a filosofia que, amiúde por terras britânicas (com o sucesso que sabemos), é habitual, ou seja, se é craque, deve jogar a partir do momento em que tem condições para isso, como era, a meu ver, o seu caso. Penso que esta estratégia bacoca coartou os horizontes do jogador, cristalizando as suas potencialidades. Um belo exemplo do inverso, é o caso de Rodrigo. Oxalá me engane, mas não acredito que venha a singrar no Nosso Clube.

18 comentários:

  1. A minha opinião não difere muito, deixei-a aqui:
    http://farmacia-franco.blogspot.com/2012/01/o-fiasco-oliveira.html

    ResponderEliminar
  2. Caro Paulo Jorge,
    Para bem do Nosso Benfica, que nos enganemos redondamente.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Jogar numa equipa de retranca (ou melhor, contra-golpe) com um avancado a correr sozinho na frente sem duvida que e mais importante para um jovem avancado que aprender diariamente com Cardozo ou Aimar, ou enfrentar Luisao nos treinos.

    Ja vi a teoria dos emprestimos justificada com o exemplo de Rui Costa no Fafe. Nunca saberemos e ainda bem, mas acho que se o Mundial de Juniores nao tem sido em Lisboa, com o impacto e cobertura que teve, o Rui Costa teria ido do Fafe ao Freamunde, acabando dispensado para o Vizela ate chegar ao Maritimo, onde faria duas ou tres boas epocas.

    ResponderEliminar
  4. acho que o nelson foi emprestado e bem. jogou e fez golos no paços. e no benfica, fez agora o primeiro golo, e participou nalguns jogos, e faz-lhe bem ir trabalhando no plantel ao lado de grandes jogadores. nao tenho nada a censurar na forma como foi lançado aos poucos. inglaterra? comparas o incomparavel. em inglaterra os adeptos nao vivem de queimar jogadores, nao andam obcecados em encontrar patinhos feios como em portugal. metias o nelson aos 18 anos como primeira escolha do benfica, era mau para ele e para a equipa. ao fim de 3 jogos maus, os adeptos catalogavam-no irreversivelmente de cepo.

    rodrigo? como e que ainda ha quem duvide deste miudo?...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem duvidou do Rodrigo? Tens de ler com mais atenção!

      Eliminar
  5. Discordo completamente. casos vários dos jovens emprestados que mais tarde se potenciam e têm enorme sucesso. Depois, a verdade é que Nelson tem imenso potencial mas muito para crescer e na verdade onde esteve pouco jogou.
    Mas querem o quê? Se JJ o lançasse, era porque inventava, assim´é porque não aposta, enfim.

    ResponderEliminar
  6. Espero que a equipa B sirva para 'resolver' debates destes e que nao se caia nos erros comissionistas das varias equipas B que ja existiram (no Benfica e noutros clubes, porventura ate mais no Norte...)

    ResponderEliminar
  7. João Freire,

    talvez tenha percebido mal e vou pedir-te para explicares este argumento por favor:

    "Um belo exemplo do inverso, é o caso de Rodrigo."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LC,
      O Rodrigo é um belo exemplo de quem foi lançado, apesar de jovem, no tempo certo. Vai, certamente, dentro de pouco tempo, ser um dos melhores do mundo na sua posição. É importante não esquecer que têm a mesma idade.

      Eliminar
  8. João, então percebi bem...
    Só não compreendo é a comparação, porque Rodrigo é muito mas muito mais jogador, Rodrigo nunca foi lançado em Madrid, chegou cá e foi rodar no Bolton enquanto o Nélson Oliveira esteve a rodar no Rio-Ave e no Paços de Ferreira se não estou em erro, agora compara apenas a evolução de um e de outro, um demonstra que evolui, o outro demonstra que atingiu o máximo.

    ResponderEliminar
  9. Lc,
    Não fiz qualquer comparação. Mencionei dois casos distintos...

    ResponderEliminar
  10. Posso estar enganado, mas o Nélson Oliveira tem potencial para ser o próximo Ibrahimovic. É só acreditarem nele e darem-lhe minutos de jogo. Penso que o N.Oliveira tem um potencial muito superior ao Rodrigo, mas também acho que estão em fases distintas da sua evolução enquanto futebolistas.

    ResponderEliminar
  11. Concordo com o André, este miúdo que eu acompanho desde os juvenis, vai ser o futuro ponta de lança do Benfica! Ele tem tudo para aquela posição, componente física, boa desmarcação, remate fácil, boa técnica... Já o vi marcar golos espectaculares! Agora, não é o Romário, mas, deixo esta pergunta, alguém se lembra de um jogador chamado Néné?

    ResponderEliminar
  12. Caro Cantanhede,
    Lembro-me perfeitamente. Acontece que o Néné não teve um trajecto semelhante. Foi integrado na equipa de juniores e lançado na equipa principal sem quaisquer sobressaltos, apesar da constelação de estrelas que abrilhantava o Nosso Clube. Gostava que o mesmo tivesse acontecido com o Nelson.

    ResponderEliminar
  13. João, para descrever uma situação se dás um exemplo estás a fazer uma comparação.

    Cantanhede, o que tem o Nélson Oliveira a ver com Néné que era um extremo direito?

    André, este é o novo Ibrahimovic, o Ruben Pinto o novo Zidane, o David Simão o novo Xavi, enfim, é só novos craques, se o Jesus apostasse neles andava tudo a falar mal do homem porque era só resultados negativos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro LC,

      O Néné, apenas começou como extremo direito, fez a maior parte da sua carreira no Benfica como ponta de lança... Mas melhor que eu, pode ler este excelente artigo na tertúlia benfiquista http://tertuliabenfiquista.blogs.sapo.pt/833322.html
      Saudações Benfiquistas!

      Eliminar
    2. Caro Cantanhede,
      por certo estás a confundir a posição de Ponta de Lança com a de avançado muito usada nos anos 50/60/70, não li o artigo mas suponho ter sido escrito pelo Pedro Ferreira, talvez tirado de algum livro, esse grande benfiquista tem pouco mais que 3 anos que eu e ninguém me vai explicar onde jogava Néné, jogador que acompanhei desde 1970, Néné estreou-se no Benfica em 1968 e a partir de 70 passou a titular, foi Mário Wilson quem viu nele qualidades de avançado direito (e não ponta de lança) e o adiantou no terreno em 75 fazendo linha de 3 com Moinhos (equerda) e Jordão (PL) (mais utilizados) recuando Vitor Batista e em 76 Mortimore fixou-o como ponta de lança após saída do Jordão, no dia em que Mortimore teve essa brilhante ideia, Néné já tinha 26 anos.
      Com isto, volto a perguntar, o que é que o Nélson Oliveira tem a ver com o Néné? As qualidades de Néné eram a antitese das qualidades que Nélson Oliveira apresenta.

      Eliminar